A Primeira Investida de Peseiro



Na semana seguinte à entrada de Peseiro, e depois de uma importante vitória frente ao “papão” de 2015, o Futebol Clube do Porto fez a sua primeira incursão pela janela de Inverno do mercado transferências.

Os primeiros reforços foram - curiosamente ou não - contratados aos verde-rubros, com a aquisição de José Sá e Moussa Marega.

O primeiro tem 23 anos e, sendo um guarda-redes, pode considerar-se ainda mais jovem do que se consideraria um jogador de campo. O segundo é um extremo-direito/avançado-centro de 24 anos.

O que terá levado os Dragões a estas contratações?

No caso de Sá, é difícil associar o “apetite” portista à prestação no campeonato nacional: foi quase sempre suplente de Salin. O guardião foi, isso sim, figura de destaque no Campeonato da Europa de Sub-21 do ano passado. Fazendo da barba “farta” uma imagem de marca, fez defesas “impossíveis” e limitou a Selecção de Portugal a apenas um golo sofrido em tempo regulamentar. Foi vice-campeão! O bracarense, formado no Benfica, era desejado pelo Sporting para compensar a saída de Marcelo Boeck e a sua contratação será uma aposta de futuro pois, além dos emprestados Bolat e Andrès Fernández, os portistas têm Casillas, Helton e Gudiño. O último poderá, eventualmente, ser emprestado.

Relativamente ao franco-maliano, trata-se de um potente e veloz avançado, que protege bem a bola e aparece bem para finalizar, sobretudo tendo em conta a época pouco fulgurante dos maritimistas. Teve problemas disciplinares com Ivo Vieira, pelo que é um factor a ter em atenção no balneário portista. Foi, no entanto, um dos destaques dos insulares nas últimas duas épocas, o que faz crer que estamos perante um executante bastante consistente.

Depois de Suk, o africano é mais uma opção polivalente para o ataque dos azuis e brancos, podendo até abrir a perspectiva de uma linha avançada com dois elementos – poderia ser o regresso do 4-4-2 losango de Peseiro.

Estarão estes reforços à altura de um clube grande?