De Que Se Queixam os Portistas?

Julen Lopetegui alega que a sua equipa está a apenas 2 pontos da liderança. Estava até na liderança antes do último jogo, no início de 2016. Poderia ainda dizer-se que é a única equipa nacional ainda em prova em 4 competições profissionais.
Então por que se divorciou a maioria dos seus adeptos com o treinador?
Será por se terem habituado a ganhar em demasia? Fazer 10 pontos na fase de grupos da UEFA Champions League é pouco? Será que já se esqueceram da campanha europeia tão elogiada no ano passado?
Não parece que estas alegações simplistas façam sentido. E para cada uma em favor do treinador basco, provavelmente haveria outra que pudesse refutar que a equipa tem estado no bom caminho. Senão vejamos:

O Plantel 2014/2015
- Quando Lopetegui chegou foi-lhe proporcionado um plantel unanimemente superior aos antecessores, contando com jovens promessas de Real Madrid C.F. e Atlético de Madrid - Casemiro e Oliver Torres -, aos quais voltariam pela "porta grande" esta época;
- Além destes, salientam-se Bruno Martins Indi - FC Porto um internacional holandês nascido em Portugal -, Cristian Tello - um explosivo avançado promissor da "cantera" do grande FC Barcelona - eYacine Brahimi - um portento técnico escondido no Granada CF;
- A juntar a tudo isto, a SAD conseguiu resistir às vendas de jogadores como Danilo LuizAlex Sandro e Jackson Martinez.

Os Resultados 2014/2015
- A equipa terminou a época em 2º lugar no campeonato - a equipa não logrou vencer um "vital" penúltimo jogo, em que os líderes e grandes rivais escorregaram, repetindo um "trauma" da época;
- Saiu da Champions vergada uns humilhantes 6-1 do FC Bayern München, depois de terem conseguido uma "almofada" vitoriosa na primeira mão;
- "Caiu" logo na 3ª eliminatória com o Sporting Clube de Portugal - em casa - na Taça de Portugal;
- Nem a Taça da Liga salvou os portistas de uma época sem troféus, perdendo com o Club Sport Marítimo depois de o ter feito anteriormente para o campeonato.

As Exibições 2014/2015
- A equipa praticava uma posse de bola esmagadora, mas geralmente previsível e muito arriscada quando em construção a partir da defesa;
- No último jogo do campeonato o Estádio Do Dragão presenciou uma vitória sensaborona em que se pôde assistir a uma forma de exprimir desagrado de que já não havia memória, por parte dos seus adeptos.

O Plantel 2015/2016
Esta época, o plantel - que desta vez não resistiu às investidas milionárias pelos laterais e ponta-de-lança - fez um investimento ainda superior, sendo vista por todos como o melhor, a larga distância da concorrência:
- Contrataram o lendário Iker Casillas, o influente lateral benfiquista Maxi Pereira, um surpreendentemente talentoso Miguel Layún e um polémico ponta-de-lança "globetrotter" - Pablo Daniel Osvaldo;
- Além disso, ganharam a disputa com o Sporting pelo novo "polvo" Danilo Pereira e resgataram André André do "Berço", adicionaram-lhe a promessa mexicana Jesús Manuel Corona e bateram a soma recorde de 20 milhões de euros por um Imbula que nem tem sido convocado ultimamente.

Os Méritos Irrefutáveis
Desde a época passada há méritos que o espanhol pode reivindicar:
- Tornou Casemiro um jogador à imagem do clube, Óliver um ícone do passe e posse circular, Tello um especialista a explorar defesas adiantadas Brahimi um desequilibrador cobiçado internacionalmente;
- Optimizou Alex Sandro e, sobretudo Danilo, fazendo de Jackson não só novamente o melhor marcador da Liga, como também um 9 temido a nível internacional, com o qual o colosso Bayern Munique não estava a contar quando perdeu no Dragão;
- Já este ano, resolveu o problema lateral sem perder qualidade do lado direito e fez de Layún um lateral com estatísticas ofensivas ao nível dos melhores do Mundo;
- Promoveu que a evolução de Ruben Neves se fizesse de forma gradual em sem precipitações. sendo já visto como um novo Andrea Pirlo ;
- Deu a André André as rédeas da equipa em campo, tendo-lhe proporcionado a transição para uma equipa de topo de forma natural. muito graças à sua maturidade, garra e interpretação perfeita da posse de bola à Barça;
- Fez um mini pré-época para Corona, que tem demonstrado desde o primeiro jogo não ser apenas mais um desequilibrador, mas um daqueles com golos e assistências regulares;
- Preparou Aboubakar para assumir o lugar de Jackson sem perda de qualidade e golos, e com mais velocidade.
- Ajudou a equipa a crescer na sua filosofia de jogo, melhorando a segurança na posse de bola e o aproveitamento das bolas paradas ofensivas.

O Reverso da Medalha
- A equipa mantém um futebol circular com pouca intensidade, sem fluidez na posse e muito previsível, não sendo suficientemente atractivo na óptica dos adeptos;
- A distância para o "tki-taka" que supostamente inspira a sua filosofia é enorme, porque apenas Maxi, Corona, Aboubakar e - sobretudo - André André o interpretam bem, fazendo movimentações para dar linhas de passe ao colega com bola;
- Dificilmente vira um resultado que começa por ser desfavorável;
- Falha quase sempre nos grandes jogos em todas as competições, apenas tendo vencido o Benfica em casa - na época passada apenas venceu o Sporting para o campeonato e o Bayern na Champions;
- Perdeu 3 jogos - em 4 - com o Marítimo em 2015!;
- Jogadores como Indi e Maicon Roque não revelam evolução nas suas debilidades enquanto centrais, Herrera mantém-se irregular entre jogos e mesmo durante 90';
- Jogadores como Maxi Pereira, Tello e Yacine Brahimi não têm rendido o mesmo da época passada;
- Jogadores que começaram bem como Imbula e Aboubakar quebraram muito a nível de confiança;
- A gestão de forma/moral dos jogadores suscita dúvidas - muitas vezes, elementos que se destacam num jogo, não mantêm a titularidade no seguinte, por vezes nem sequer integram a convocatória;
- Jogadores como José Ángel e Alberto Bueno mereceriam mais minutos;
- Dá a sensação que todos os centrais têm características semelhantes, que Layún tem demasiadas dificuldades a defender para ser lateral - por que não a ala? -, que Indi rende mais a defesa-esquerdo, que Brahimi se contraria mais facilmente - "empastando o jogo" - a partir da ala do que a 10, etc....

O futebol é muito mais complexo do que os factos mais simplistas possam indiciar.