O último dia do Mercado de Inverno


Chegámos ao último dia do mercado de transferências desta época!
Na tentativa de ganhar balanço na luta pelo título, como devem os dragões reorganizar a equipa? Que mais aquisições? E que saídas?
Guarda-redes
Depois de contratar José Sá, os azuis e brancos têm 4 guarda-redes no plantel principal: além do internacional sub-21 português, sobram Casillas, Helton e Gudiño.

Casillas é o número 1 e deve-o ser pelo menos até ao final da época, dado o enorme retorno financeiro e de notoriedade. Teve falhas, mas também teve defesas que salvaram a equipa.

Helton tem sido, apesar dos lapsos nos dois últimos jogos que efectuou, um elemento que garante segurança para alinhar em qualquer jogo – de qualquer competição - em que o treinador não tenha ou queria poupar o habitual titular; além disso é um pilar do “balneário” portista, pelo que deve ser considerado essencial para atacar o título esta época.

O último ainda não teve oportunidade de se estrear oficialmente e, ao não jogar no último encontro da Taça da Liga desta época e sem chances de apuramento para o FCP, deve sair ser cedido para ganhar minutos e experiência de primeira liga.

Quanto a Sá, a ideia do FCP deverá ser a de transmitir-lhe a “mística” portista nos treinos e utilizá-lo inicialmente na equipa B, fazendo o upgrade na próxima época, mediante o seu rendimento.

Centrais
Parece, nesta altura, o sector mais débil do FCP. O que até constitui um paradoxo com o passado do clube, que sempre se destacou pela solidez individual e colectiva nessa posição.

Maicon e Indi são centrais muito fortes, mas pouco velozes. Ambos costumam dominar no jogo aéreo, mas não garantem segurança para uma defesa subida e pressionante. Têm problemas ao nível do timing de desarme, tendo entradas impetuosas que muitas vezes levam a penaltis e/ou expulsões.
O primeiro, sobretudo, tem dificuldades de posicionamento. É um dos marcadores de livres diretos, que nem sempre cobra com acerto. Demonstra um pouco mais de regularidade no passe longo. Depois de ser uma “eterna esperança” portista, é agora um jogador cada vez mais dispensável, mas o facto de não ter propostas desde a pré-temporada e de ser uma “voz do balneário” deve fazer com que se mantenha até ao final da época.

O luso-holandês costuma ter melhores actuações quando joga a defesa-esquerdo e tem sido o menos irregular dos centrais, pelo que só sairá neste mercado se tiver uma boa proposta, ele que até é muito “bem visto” em Inglaterra.

Marcano é um central que se destacou na época passada pela regularidade, sendo que este ano baixou um pouco nesse capítulo. É, também ele, forte no jogo aéreo – defensivo e ofensivo - mas tem muitas fragilidades técnicas, falhando muitos passes simples.

Lichnovsky saiu recentemente por empréstimo, para o Sporting de Gijón.
Assim, e a menos que recorra – seria inédito esta época – à equipa B, os Dragões contam apenas com 3 centrais, com características semelhantes.

Reyes é o central com melhor desempenho de La Liga - dizem-no as estatísticas – mas deixou de ser titular no Real Sociedad, pelo que seria bom para as 3 partes que o FCP o «resgatasse» agora.
Fica, no entanto, a sensação que a equipa precisa de mais do que um elemento, mas sim 1 ou 2 elementos que sejam fortes – sobretudo – nas fraquezas anteriormente reveladas.

Num olhar para jogadores portugueses ou do nosso campeonato, parece-me que Rúben Vezo (Valência) e Marcelo (Rio Ave) seriam boas soluções. O primeiro tem apenas 21 anos e experiência de uma das melhores ligas mundiais, mas tem sido nos últimos tempos – maioritariamente – suplente; o segundo é um dos mais sóbrios e eficazes centrais da Liga NOS.

Laterais-esquerdos
Layún tem sido um dos destaques ofensivos da equipa, somando golos e assistências, pelo que os Dragões devem acionar a opção de compra, ora para fazer um bom negócio no defeso de Verão ora para fazer dele um dos pilares da próxima época.

José Ángel tem tido um rendimento muito mais positivo esta época - sempre que é aposta – mas a perspectiva de ser titular é muito improvável, dado o rendimento do colega, pelo que há a possibilidade de sair já.

Se o espanhol sair, Rúben Ferreira parece uma opção com mais potencial do que reconhecimento no nosso campeonato, parecendo perfeito para os Dragões. Além da consistência defensiva, é forte a cruzar e ainda melhor na marcação de livres.

Laterais-direitos
Com Maxi Pereira - ainda à procura do nível que demonstrou na Luz – sem concorrência sólida, não parece que o clube vá ao mercado por uma alternativa, tendo em conta que Victor García tem somado minutos e mostrado potencial e, porque não, até Silvestre Varela parece ter características para ser adaptado à posição; Maicon é uma alternativa para fechar o flanco quando o treinador queira segurar um resultado.

Médios-defensivos
Danilo Pereira manteve-se imprescindível para Peseiro, que não tem no plantel uma alternativa que assegure a mesma qualidade defensiva; Rúben Neves é a outra opção, mas de características completamente diferentes, sendo um regista com posicionamento táctico e qualidade técnica que o elevam a promessa mundial. Para o que falta da época talvez seja suficiente.

Médios-centro
Começando por Sérgio Oliveira, um jogador de características semelhantes a Rúben Neves, mas que pode jogar em qualquer posição do meio-campo, a expectativa é que seja cedido para continuar a sua evolução.
André André é o jogador mais, não só deste sector, como de todo o meio-campo portista, e é peça chave para o presente e futuro da mística que o clube quer reacender.
Fala-se, ultimamente, na possibilidade de regresso de Óliver Torres, jogador que mostrou lampejos de qualidade técnica de nível mundial. Se for a título definitivo ou com opção de compra, parece uma óptima contratação.
Se esse negócio se concretizar, Imbula e Herrera ficarão com espaço muito reduzido para lutar pela titularidade.
O primeiro tem «muito mercado» para sair por empréstimo ou a título definitivo – para Itália, Inglaterra ou França -, sem que tenha ainda confirmado a qualidade que fez o FC Porto pagar 20M pelo seu passe; a evolução táctica e sobretudo mental que jogar numa dessas ligas proporcionaria poderia ser o clique que lhe falta.
Herrera tem sido utilizado com insistência desde há vários jogos, mesmo quando continua a revelar-se irregular, pelo que é um elemento apreciado dentro e fora do clube; o Nápoles está atento ao mexicano, mas o eventual negócio de Óliver até poderia levá-lo ao Atlético de Madrid – as suas qualidades de intensidade ofensiva e pressão parecem encaixar no conceito de jogo de Diego Simeone.
Evandro parece um jogador apreciado por técnicos e adeptos, sendo um jogador que aceita o banco ou a bancada de bom grado e mantém a dinâmica da equipa quando entra em campo, sendo uma boa alternativa para Óliver – se vier – ou André André, não se perdendo fluidez e segurança na posse de bola com a sua entrada.
Médios-ofensivos
Lopetegui prescindia da posição 10, mas Peseiro parece querer fazer voltar o elemento mais criativo: já testou André André e Varela na posição, mas não parecem elementos vocacionados para essa tarefa.
Brahimi e Corona têm, esses sim, características de condução de bola, drible e passe que permitem explorar da melhor forma essa posição, quer em 4-3-3 quer no vértice ofensivo de um 4-4-2 losango.
Extremos
Sem contar com Brahimi e Corona, o FCP conta com um cada vez menos desequilibrador Varela – não deixa de ser boa solução para ajudar a segurar um resultado – e Moussa Marega, que ainda não foi visto em acção pelos dragões.
Há ainda Hernâni e Kelvin. O primeiro não é habitual titular no Olympiakos, mas sempre que joga mostra talento, pelo que seria cogitável fazê-lo regressar nesta altura. O segundo terminou empréstimo ao Palmeiras, e parece a hora do tudo ou nada na Europa. Será que Peseiro os integra na equipa?
Pontas-de-lança
Aboubakar ainda está a tentar confirmar o potencial – como finalizador e não só - que revelou no início da época. Há ainda um Suk muito lutador e que aparece nos sítios certos, mas que ainda não conseguiu marcar e Marega.
André Silva deverá ser a última opção, não queimando etapas e somando jogos na B ou saindo por empréstimo: não faltam interessados.

Veremos o que acontece até final do dia!