CASINO REYES


Herrera e Diego Reyes são os ativos do plantel do F.C. Porto com mais temporadas ao serviço do clube. Se o primeiro ganhou o estatuto de capitão, o segundo teve e continua a ter, uma passagem conturbada com a camisola azul e branca. Saiu do América de México com 20 anos para um clube ainda campeão, com o projeto de crescer ao lado de Otamendi, Maicon e Mangala.
Na primeira época, Diego Reyes alternou entre equipa A e equipa B. Com Lopetegui, o mexicano continuou como quarta opção, prosseguindo o processo de adaptação na equipa B, ganhando músculo e conhecimento táctico. Cumpriu quando foi chamado a equipa principal... Até chegar o jogo da segunda mão dos Quartos-de-Final da Liga dos Campeões.
O F.C. Porto foi humilhado pelo Bayern em Munique por 6-1. Com os dois laterais suspensos, Lopetegui optou por Diego Reyes numa das faixas. Essa invenção do técnico espanhol custou muito caro ao jogador. A passagem por Portugal ficou manchada e o empréstimo conseguido à Real Sociedad foi uma lufada de ar fresco.
A temporada passada, com a chegada de Felipe, Diego Reyes não quis ser suplente. Foi emprestado novamente, desta vez ao Espanyol Barcelona onde foi considerado um dos melhores centrais da Liga. Esta temporada Sérgio Conceição manteve Reyes no plantel e o F.C. Porto não pode cometer o erro de deixá-lo sair.
O resto é poker...
Quem acompanhou as suas prestações no campeonato espanhol, percebeu o seu talento. Pode jogar como defesa central ou como médio defensivo, excelente no jogo aéreo, muito bom tecnicamente e preciso no passe longo.
O Espanyol vê o jogador como uma prioridade mas não quer pagar. Tenta convencer o jovem central que já afirmou várias vezes querer continuar em Espanha, a forçar a saída. Reyes tem contrato com os Dragões até o final da época e a renovação anuncia-se difícil.
Os portistas vão ter que vender, sendo Danilo e Felipe jogadores com mercado. Se um dos dois sair, Reyes pode ser titular a curto prazo. Se os dois saírem, o mexicano torna-se imprescindível para o futuro.
Na história dos clubes, houve sempre jogadores chaves na transição de planteis. Os dossiers dos centrais são tão importantes como são complicados para os azuis e brancos devido à necessidade de vender para equilibrar as finanças. Vamos ver quem faz o melhor bluff, Diego Reyes, o agente, o Espanyol, ou se o Porto aposta todas as fichas da stack para ir “all-in”.