MAGIA AFRICANA PARA ENFEITIÇAR O NOVATO


Halloween já passou, a festa comercialmente recuperada tem fundamentos históricos no Samain, cerimónia religiosa céltica celebrada ainda hoje com rituais ou por esoterismo. Da magia do norte da Europa, viajamos até África para fazer uma amálgama com os três feiticeiros que compõem o ataque do Futebol Clube do Porto.
A parceria africana já rendeu 25 golos ou seja 62,5% dos tentos dos Dragões. Aboubakar, Brahimi e Marega estão numa simbiose mágica. Esse entendimento deve-se designadamente ao facto de falarem todos os três a mesma língua, detalhe que tem a sua importância no relacionamento dentro e fora do campo. São, juntamente com os centrais, os jogadores com mais jogos oficiais esta época.
O Porto vai reencontrar o Leipzig num jogo muito importante na corrida para os oitavos de final da Liga dos Campeões. Dominados na Alemanha, os azuis e brancos terão de mostrar outra cara no estádio do Dragão frente a equipa alemã, “franchise” da marca de bebidas energéticas.
A Red Bull que já tem clubes na Áustria (Salzburgo) e nos Estados-Unidos (New York) decidiu investir em 2009 na Bundesliga e na equipa do Leipzig. O presidente da empresa Dietrich Mateschitz, magnata austríaco, conseguiu em 8 anos transformar uma equipa das divisões regionais num competidor da Liga dos Campeões. O Red Bull dá asas e rende dinheiro... Mas foi preciso inteligência na construção do projecto para obter essa fulgurante progressão.
116 anos separam os dois clubes que vão atuar esta noite, o F.C. Porto envelhecido em barris de competições europeias terá que ser mais forte do que uma vodka Red Bull.