Cristiano Ronaldo vs. Lionel Messi : Um duelo para a História.


Por ter crescido nos anos 80, as minhas primeiras lembranças de futebol são uma mistura de Mundial 1990 e « Campeões : Oliver e Benji » : a dança de Roger Milla, a catapulta infernal, o corte de cabelo de Valderrama, o boné de Benji, o golo de Caniggia, Kojiro Huega, Maradona, Oliver Tsubasa, Goycoechea, o guarda-redes ninja da Thoho...
Nesses desenhos animados, a bola tornava-se oval e os terrenos mediam 5 km, a rivalidade entre Kojiro Huega e Oliver Tsubasa era inspiradora. Por um lado, o herói, naturalmente dotado, capaz de tudo com a bola, sempre positivo, jogando para a vitória da equipa, por outro lado, o anti-herói, o bad boy, mais rápido, mais atlético, disfarçando a insatisfação crónica por trás de uma máscara de arrogância. A relação entre os dois é evidente : Procurar ser o melhor.
Para responder à pergunta : "Quem é o melhor entre o português e o argentino ?" as explicações podem ser encontradas nas estatísticas, na preponderância colectiva, no posicionamento tático, nas comparações técnicas ou mais subjetivamente, nas emoções provocadas. A resposta não se encontra na comparação mas sim na definição : Cristiano Ronaldo é o melhor futebolista e Messi, o melhor jogador.
Cristiano é o melhor atleta, melhor marcador da história da Liga dos Campeões, do maior clube europeu e da seleção portuguesa. Ronaldo vê os recordes como uma caça pessoal, obcecado pelo êxito, viciado pelo objetivo de ser o melhor de todos os tempos. Cr7 não disfarce e assume perfeitamente : é o melhor, quer continuar a sê-lo e fará tudo para estar à altura das suas ambições. Os seus detractores acham-no arrogante por exagerar nas demonstrações de sucesso, e é esta intolerância o seu motor.
Partindo da ideia que temos do « jogo », de que se trata de uma competição entre participantes, Messi é a "alegoria personificada de uma ideia abstracta" ou seja a representação perfeita da fusão entre o corpo e a bola, acrescentada à sua capacidade em desequilibrar qualquer defesa, a qualquer momento: ele é o melhor jogador de futebol. Si considerarmos que a soma entre domínio do esférico e influência na equipa é determinante, Messi é o jogador mais harmonioso, como Oliver Tsubasa, a bola como extensão de ele próprio, um casamento perfeito entre o corpo e o espírito do Deus futebol.
Tivemos, claro, duelos lendários nos desportos individuais : Ali vs. Frazier, Nadal vs. Federer, etc. Contudo, é sempre complicado destacar individualidades num desporto coletivo. Entre Pelé e Maradona, o debate está aberto e difícil de resolver, dado que nunca se confrontaram, nem jogaram no mesmo tempo. Ronaldo e Messi rivalizam na mesma era, somando Bolas de ouro como ninguém, puxando um pelo outro nesta corrida frenética para saber quem será o melhor. O português é um atleta maníaco, um fórmula 1 à procura de melhorar os detalhes, o argentino é prodigioso, um vector de inspiração. Concluindo, Cr7 é o melhor atleta, Messi o melhor artista.