O Principado prepara-se para a invasão das águias negras




Depois de ter perdido frente ao F.C. Porto, o Mónaco de Leonardo Jardim está em maus lençóis nesta fase de qualificação para os oitavos de final da Champions. Os monegascos deverão vencer a todo o custo o Besiktas para sobreviver.
Como na sua camisola, a temporada do Mónaco tem duas cores, dum lado, o branco, calmo, símbolo de continuidade de uma série de vitórias que vinha da temporada passada. Do outro, o vermelho, o alerta e primeira bofetada em Nice antes de uma arranhadela frente ao Leipzig na Liga dos Campeões, avisos de algumas avarias funcionais na carruagem principesca.
Depois de duas vitórias consecutivas, a unânime imprensa francesa imaginava que o Monáco ia despedaçar o F.C. Porto no seu recinto. A carruagem explodiu ao colidir contra o 4x4 português, mais possante nos choques. O F.C Porto andou na relva do estádio Louis II sem limitação. Após ter tido, dois maus resultados no campeonato, Mónaco vê chegar ao longe as águias turcas, preparadas para atacar uma equipa moribunda.
O Besiktas atravessa globalmente a melhor fase desportiva da sua história, mesmo tendo tido dois últimos resultados infelizes no campeonato. Inteligência na gestão financeira permitiu aos Constantinopoliotas ter ganho o bicampeonato depois de 50 anos de espera. Eliminados o ano passado nos pontapés de grande penalidade contra o Lyon nos Quartos de final da Liga Europa, os turcos quase conseguiram uma época histórica.
Com um Quaresma sempre talentoso, um Ryan Babel fénix renascido, um Ozyakup muito bom tecnicamente e um Talisca em grande forma, as águias negras são difíceis de domar. O principado deverá transfomar-se em terreno de caça se não quer viver um remake do filme d'Alfred Hitchcock, “Os Pássaros”. A vitória é obrigatória antes da perigosa visita a Turquia, no ninho das Karakartal de Istambul.