Via aberta para os campeonatos

Via aberta para os campeonatos. Football Explorer


Para inaugurar a parte internacional da melhor maneira, começamos por fazer um balanço dos principais campeonatos europeus. Depois de uma rápida análise, a conclusão surge como uma evidência. As diferenças pontuais nas corridas para os títulos são relativamente importantes, só crises profundas e remontadas possíveis mas pouco prováveis poderiam impedir o Bayern, o Barça, o PSG e Manchester City de vencer os seus campeonatos respetivos na próxima primavera.
Apresentamos então resumos gráficos sobre os desempenhos intercalares dos principais candidatos em Alemanha, Espanha, França e Inglaterra, para mostrar as disparidades entre os concorrentes para o título. A situação em Itália é diferente e será tratada noutro artigo.

Em terras germânicas, o Bayern domina desde os anos 70 e se por vezes, um ou outro rival vem contestar esta hegemonia, constatamos que os bávaros venceram 26 dos últimos 50 campeonatos. Os cíclos de vitórias quebrando obrigatoriamente, o Borussia Dortmund foi o principal rival dos últimos 25 anos. No entanto, o Bayern atravessa o cíclo vitorioso mais longo da sua história com 5 campeonatos consecutivos e está muito bem lançado para vencer o hexacampeonato, proeza nunca realizada em Alemanha.
Neste momento, com 13 pontos de avanço, o Bayern está muito confortável e pode preparar tranquilamente o duplo encontro da Liga dos Campeões com o Besiktas, tendo em conta que os bávaros nunca perderam um campeonato quando lideravam com 13 pontos de avanço antes de iniciar a 19° jornada .

A Premier League é sem dúvida o campeonato mais competitivo até porque 4 equipas diferentes ganharam os 5 últimos títulos. Manchester City é atualmente líder com 12 pontos de avanço sobre Manchester United. Os Citizens atravessam o melhor período da sua história, numa era de abundância financeira, pressionando assim a hierarquia do costume.
O United sonha com uma sucessão de deslizes do seu rival de Manchester para alcançar o primeiro lugar, porém nunca aconteceu na Premier League que uma equipa com um avanço tão importante à 18° jornada perdesse o campeonato. No entanto, podemos recordar que o Newcastle em 1995/1996 com 10 pontos de avanço sobre o segundo Manchester United a meio do percurso, perdeu o campeonato para os Red Devils. Mais incrível ainda, o Arsenal em 1997/1998, 6° classificado a meio da temporada, a dez pontos do primeiro, acabou por vencer a liga.

Ao contrário dos outros países, o palmarès dos clubes franceses não permite distinguir uma, duas ou três equipas historicamente dominadoras. Os clubes com mais títulos são o Saint-Etienne e o Marselha com 10 vitórias cada um, números relativamente inferiores em relação aos outros campeonatos, uma liga que funciona mais por cíclos vitoriosos heterogéneos do que por dominações estatutárias. O controlo é agora parisiense. Com 11 pontos de avanço sobre o Lyon, a diferença entre o PSG e o resto das equipas é gritante. Se os monegascos conseguiram uma vitória merecida numa temporada passada execional, este ano, a concorrência é quasi inexistante, tornando o campeonato menos competitivo.
Tal como o Bayern na Alemanha, o Paris Saint-Germain tem um avanço agradável para preparar serenamente o seu oitavo de final da Champions contra o Real Madrid. Ao contrário dos merengues que vivem uma situação delicada, os parisienses poderão gerir o plantel na Ligue 1 antes de enfrentar os campeões europeus num jogo que se anuncia crucial para a história do clube da capital francesa.

No campeonato espanhol, O FC Barcelona tem 9 pontos de avanço sobre o Atlético de Madrid. Se a diferença pontual não parece gigantesca, o facto do Real Madrid ter desaparecido da corrida pelo título põe os blaugrana numa posição muito favorável. A constatação é inequívoca : Na história do campeonato espanhol, nunca a diferença entre o Barça e o Real foi tão grande ao fim da jornada 19 (19 pontos), o recorde de 2012/2013 foi superado (Barça +18 pts).

Apesar da ausência do seu maior rival, o Barça deverá prestar atenção aos seus perseguidores, o Atlético Madrid, clube muitas vezes subestimado mas sistematicamente perigoso, e o Valência “2.0”, uma equipa com um futebol atrativo e ambicioso.

Para concluír, essas quatro equipas encontram-se estatisticamente nas melhores condições para iniciar a fase final da Liga dos Campeões, o torneio por excelência. Tendo em conta que um avanço de pontos no campeonato tem tendência em desviar o foco para a Champions, uma eliminação prematura seria amarga para qualquer dessas equipas.